Recife, 27 de maio de 2014

Prefeitura compra 80 conjuntos de máquina de lavar e secar por R$ 77 mil cada. Priscila pede cancelamento

A vereadora Priscila Krause (DEM) subiu à tribuna da Câmara na tarde desta terça (27) para alertar o novo secretário de Educação do Recife, Jorge Vieira, sobre a necessidade de a administração cancelar a aquisição de maquinário de lavanderia industrial destinada à rede de creches e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). Para a vereadora, a despesa é exorbitante e não tem consonância com a realidade da rede pública, carente de ações básicas. Ela protocolará, amanhã, na Prefeitura, relatório com gastos que considera equivocados.

Superpotentes e preparadas para lavanderias comerciais, hospitais ou hotéis, por exemplo, as máquinas lavam 27 kg/horas, são fabricadas para trabalhar sem interrupção (24h) e podem, cada unidade, lavar aproximadamente 3.250 conjuntos de farda escolar por dia.

De acordo com fiscalização coordenada por Priscila, que acompanha semanalmente a movimentação dos cofres públicos municipais, a Secretaria de Educação está adquirindo 80 máquinas lavadoras industriais (R$ 49,145 mil por unidade) e mais outras 80 máquinas secadoras industriais (R$ 26,93 mil/unidade) ao custo total de R$ 6,086 milhões. O conjunto, portanto, soma o montante de R$ 76 mil. A compra, contratada a partir de licitação (ata de registro de preços), já teve seu empenho liquidado desde o dia 20 de dezembro passado. O pagamento, no entanto, ainda não foi realizado. A empresa fornecedora é a Inoxcook Comercial Ltda. ME.

Para Priscila, a chegada de um novo gestor na Secretaria, que assumiu há dez dias, é importante para que a gestão corrija os rumos da educação no município. “O secretário Jorge Vieira é auditor do Tribunal de Contas e deve entender minha preocupação. Trata-se de uma compra absurda numa cidade que tem sérias deficiências históricas no quesito educação. Na construção das sete novas sedes de escolas em andamento, ação importantíssima e que eu aplaudo, gastou-se até aqui R$ 3,87 milhões, quase metade do que se pretende gastar com essas lavanderias industriais desnecessárias. Governar é escolher prioridades”, afirmou.

Na última aquisição para as creches, em 2011, a Secretaria de Educação do Recife adquiriu máquinas de lavar e secar por R$ 1,854 mil e R$ 1,611 mil a unidade, respectivamente.

ESCOLAS – No discurso, Priscila lembrou que em vez de compras “fora do contexto e exorbitantes”, a Prefeitura precisa turbinar os gastos com pessoal e estrutura básica das creches e escolas. As sete unidades que ganharão nova sede, prometidas desde 2013, receberam apenas R$ 3,58 milhões de investimentos (empenhos liquidados até ontem de acordo com o Portal da Transparência), praticamente metade do valor destinado às máquinas.

 

Recife, 20 de maio de 2014

Fiscal do Cofre: Campos dos centros de treinamento “padrão Fifa” no Recife custarão R$ 3,28 milhões à PCR

A Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Esportes e Copa do Mundo, desembolsará R$ 3,286 milhões para preparar os dois campos dos llCentros de Treinamento da Copa do Mundo instalados na Região Metropolitana do Recife. O convênio para os ajustes nos Centros foi assinado no início do mês e publicado hoje no Diário Oficial do município. Para requalificar o acesso aos locais de treinamento, alvos de críticas das delegações durante a Copa das Confederações, a PCR investiu R$ 4,1 milhões. A gestão municipal também é responsável pela organização do Núcleo de Comunicação, a ser instalado no IFPE.

Recife, 14 de maio de 2014

Inaugurado no fim da gestão João da Costa, Parque de Santana já se prepara para nova reforma

Parece brincadeira, mas não é: pouco mais de um ano depois de ser oficialmente inaugurado pelo então prefeito João da Costa (PT) – foi a última ação do ex-gestor, exatamente em 31 de dezembro de 2012 -, após intervenção de reforma ao custo de R$ 9,2 milhões, o Parque de Santana já se prepara para uma nova requalificação. Verdade! A gestão municipal está contratando a empresa André Lobo Arquitetura Ltda., ao custo de R$ 145,2 mil, para elaborar projeto executivo de arquitetura para reforma do Parque reformado. O novo projeto inclui portarias, banheiro público, reforma dos quiosques existentes, etc. e será contratado pelo Gabinete de Projetos Especiais da gestão Geraldo Julio.

A vereadora Priscila Krause (DEM) enviará pedido de informações ao prefeito questionando detalhes sobre o novo projeto. “Curioso o fato de um prefeito entregar um parque pronto para a população e no ano seguinte já termos o novo prefeito projetando a reforma da reforma. Tem alguma coisa errada e o Recife aguarda esclarecimentos, afinal de contas tivemos R$ 9,2 milhões investidos ali. Como é que entregaram um parque sem portaria, por exemplo? Por que reformar quiosques construídos há um ano?”, questiona Priscila.

 

 

Recife, 13 de maio de 2014

Priscila pede que prefeito cumpra promessa de campanha e baixe alíquota da CIP

O aumento da tarifa de energia praticada pela Celpe, em vigência desde o início deste mês, provocou a vereadora Priscila Krause (DEM) a subir à tribuna, na sessão desta terça-feira (13), para cobrar do prefeito Geraldo Julio (PSB) a efetivação de uma promessa de sua campanha eleitoral: a redução da Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública (CIP) no Recife. O custo mais caro da energia rebate diretamente no valor cobrado pela Prefeitura do Recife. Na prática, a CIP terá aumento de 20,6% a partir da próxima fatura.

Segundo a previsão orçamentária da Prefeitura, registrada na Lei Orçamentária Anual, sancionada ainda em 2013 – quando o aumento ainda não havia sido anunciado -, a Secretaria de Finanças previa uma arrecadação anual de R$ 62,54 milhões com a Contribuição. Agora, calculando o acréscimo de 20,6% nos oito meses restantes do ano, o montante previsto soma R$ 71,4 milhões. “Se um dos compromissos com o qual o prefeito eleito venceu a eleição baseou-se na redução da CIP, não tem lógica admitir esse aumento agora. A expectativa é que o Executivo envie um projeto modernizando a lei da CIP e reduzindo as alíquotas. Promessa de campanha é compromisso de governo”, cobrou Priscila.

Vice-presidente da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara, Priscila explicou que, da forma que é, toda vez que a Celpe reajuste o valor da tarifa energética, a CIP ficará mais cara. O valor cobrado, conforme a legislação vigente, baseia-se numa tabela que define o valor pago de acordo com o consumo residencial, comercial ou industrial. A tarifa segue o valor da classe B4a (Iluminação Pública/Entrega no Poste). O compromisso de reduzir a CIP está no programa de governo do então candidato e foi registrado em cartório.

 

Recife, 07 de maio de 2014

Priscila lamenta fechamento do Santander Cultural e pede que Prefeitura vigie uso do espaço

Do site da Câmara do Recife:

Priscila Krause (DEM) lamentou o fechamento do Santander Cultural, que segundo ela, surpreendeu a todos e especialmente à cena cultural da cidade. Diversos artistas se manifestaram com pesar pela perda desse espaço importante para a cultura local. “Desde março o espaço estava sem funcionar e nesse final de semana os rumores do fechamento aumentaram, até que o banco veio a público informar que vai fechar por considerar o local inadequado”.

A vereadora disse que há informações de que o banco passará a investir no Museu do Estado, mas se negou a dizer quanto vai investir. “Embora o espaço seja privado, atendia a uma lógica de serviço público. Desde 2006 havia ali o Pernambuco Contemporâneo que contemplava exposições de artistas contemporâneos locais”.

Priscila disse que não entendia a razão de uma instituição privada se negar a divulgar valores de patrocínio, quando lucrou no país ano passado cerca de R$ 12 bilhões. Ela apelou ao poder público que acompanhe a destinação daquele imóvel, que pertence à BandPrev (previdência do Bandepe), por se tratar de imóvel histórico no bairro do Recife, que vive agora sua segunda revitalização.

Raul Jungmann (PPS) lamentou o fechamento do local e que a Prefeitura não tenha se empenhado em manter esse centro cultural aberto. “Vejo empenho da PCR para algumas coisas e nenhuma para outras importantes”.

Recife, 28 de abril de 2014

PCR adia inauguração da Via Mangue para o início de junho. Na reta final, obra encareceu R$ 47,6 milhões

A Prefeitura do Recife publicou hoje, na sua mais recente edição do Diário Oficial, o nono aditivo ao contrato da Via Mangue (014/2011). Em resumo, o documento adia para o dia primeiro de junho a inauguração da Via (a última previsão era liberar o novo caminho nessa quarta-feira, 30), além de acrescentar ao valor do contrato mais R$ 47,6 milhões. A intervenção viária, que foi inicialmente contratada por R$ 319,8 milhões, custará agora R$ 431,0 mi. No penúltimo aditivo, já tinha sido somado ao custo final o montante de R$ 64 milhões. Na gestão João da Costa, quando foi iniciada, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) determinou em medida cautelar que a licitação não admitisse preço acima de R$ 332,0 milhões.

Componente da Comissão de Meio Ambiente e Transporte da Câmara do Recife, a vereadora Priscila Krause (DEM) convidou o presidente da Empresa de Urbanização do Recife, Alexandre Rebêlo, e o secretário de Mobilidade e Controle Urbano, João Braga, para prestar esclarecimentos sobre a reta final das obras na próxima reunião do colegiado. “Nós queremos explicações sobre esse último incremento milionário ao preço, as justificativas para isso, além de que é necessário que a gestão apresente à sociedade o plano de circulação na via e no seu entorno. Sabemos que há várias deficiências no projeto, apontados pela própria imprensa, que precisam ser solucionados. Não teremos tempo para experimentos porque a Copa já será realidade”, afirmou Priscila.

A vereadora também provocará o TCE para certificar-se sobre a viabilidade desses aditivos. Em 2010, o órgão foi responsável por uma economia de R$ 85 milhões. “Foram vários os pronunciamentos do Tribunal, em audiências públicas que realizamos, alertando para a inviabilidade desses acréscimos. A obra sairá cento e onze milhões de reais mais cara do que foi licitada, quase meio bilhão de reais”, concluiu.

 

 

Recife, 25 de abril de 2014

Projeto de Priscila Krause, “Adote uma biblioteca” agora é lei!

Do Diário de Pernambuco, Diário Urbano, 25/04/2014

Recife, 24 de abril de 2014

Árvore na Boa Vista vira apoio para placa de obra da PCR. Tem até prego

Priscila Krause no Facebook:

“Mau exemplo da Prefeitura do Recife: esqueceu as regras e o bom senso ambiental e literalmente crucificou com pregos uma árvore para servir de apoio para uma placa de obra. Na Princesa Isabel, pertinho da Câmara. Alô, Emlurb, ação JÁ! É preciso dar o exemplo.”


Recife, 24 de abril de 2014

Dos R$ 91,2 milhões pactuados via convênios federais, apenas R$ 465 mil chegaram nas contas da PCR

Do Jornal do Commercio, coluna JC Negócios, 24/04/2014:

« Página AnteriorPróxima Página »