Recife, 26 de junho de 2019

Reclamando de débito do governo Paulo Câmara, Canadá ameaça não receber mais alunos do “Ganhe o Mundo”. Priscila Krause questiona condições do programa

Foto: Priscila Krause

A Associação Canadense de Escolas Públicas – Internacional (CAPS I) tenta desde março deste ano resolver com o governo de Pernambuco o pagamento de dívida relacionada aos serviços educacionais e hospedagem dos intercambistas beneficiados pelo programa “Ganhe o Mundo” no País, inclusive alertando aos seus associados para a possibilidade de não receberem novos estudantes. Apontando dívida de R$ 5,9 milhões do governo de Pernambuco – via empresa contratada para prestação do serviço – perante as unidades de ensino canadenses, a Associação enviou oficialmente comunicado ao governador Paulo Câmara, em março deste ano, buscando entendimento com a administração estadual para sanar os problemas. O assunto foi levantado na sessão plenária da Assembleia Legislativa desta quarta-feira (26) pela deputada estadual Priscila Krause (DEM), que também apontou problemas relacionadas aos estudantes enviados ao Chile e à Nova Zelândia.

“Nós recebemos essas informações, os comunicados da Associação Canadense, também registramos reclamações de estudantes nas redes sociais do programa, e trazemos esse assunto para que o governo se pronuncie, explique sobre a situação do programa Ganhe o Mundo, que para os alunos contemplados tem sido um programa exitoso e importante”, registrou a parlamentar, comunicando que está protocolando requerimento de pedido de informações ao governador. Ainda segundo a parlamentar, há reclamação de atraso no pagamento das bolsas mensais de R$ 719,00 aos estudantes que embarcaram nesse semestre para o Chile e a Nova Zelândia.

A deputada destacou que o problema relacionado aos intercâmbios no Canadá atinge praticamente a metade dos embarques anuais do programa, já que o país é o que recebe a maior parte dos alunos contemplados, cerca de 450 por ano. No comunicado enviado ao governador, o diretor executivo Bonnie Mackie afirma que desde 2012 registrou-se “pequenos atrasos”, mas este ano os membros da Associação experimentaram “atrasos sem precedentes”, inclusive referente a alunos que já concluíram seus estudos e retornaram ao Brasil. “O pagamento integral de todos os fundos é necessário imediatamente para que nossos membros possam continuar a fornecer programas educacionais e compensação mensal para as famílias canadenses que hospedam esses alunos”, registrou. Priscila Krause informou que no mês de junho a Associação seguiu buscando resolução da dívida, inclusive alertando às escolas associadas a respeito da manutenção do impasse. A CAPS I também alertou o governo da Paraíba sobre o problema, já que a mesma empresa que manteve o débito em relação aos estudantes pernambucanos venceu licitação para o programa “Gira Mundo”, promovido pelo estado da Paraíba.

Nos questionamentos ao governo, Priscila Krause também citou a significativa redução da execução orçamentária referente à subação “Programa Ganhe o Mundo – Intercâmbio de alunos em outros países”. Enquanto até junho há liquidação de R$ 3,95 milhões referentes ao programa, nos doze meses de 2018 e 2017 os valores são bem mais significativos: R$ 22,9 milhões e R$ 26,4 milhões, respectivamente. “Os alertas da Associação Canadense, as reclamações dos estudantes que estão no Chile e na Nova Zelândia e a restrita execução orçamentária exigem uma explicação e, principalmente, uma solução do governo Paulo Câmara. Os estudantes dependem da bolsa. No mínimo há um desajuste importante nos serviços prestados pelas empresas contratadas, mas é preciso que se ateste a sustentabilidade econômica do programa e a viabilidade dos próximos embarques”, acrescentou Priscila.

Postado por Priscila Krause às 17:21:00
________________________________________________________

Deixe seu comentário

(obrigatório)