Recife, 13 de dezembro de 2011

Audiência Pública Via Mangue: URB admite desapropriação do Aeroclube e TCE aponta atraso de 14 meses na obra


O Tribunal de Contas do Estado (TCE) alertou a Prefeitura do Recife, ontem, sobre o andamento das obras das 2º e 3º etapas da Via Mangue, a mais importante obra viária em construção na capital pernambucana. De acordo com a fiscalização do órgão, registrada em relatório finalizado em outubro, se o andamento da intervenção urbana se mantiver no nível atual, a Via só será liberada na sua totalidade 14 meses após o previsto, ou seja, em novembro de 2014. Em audiência pública realizada pela vereadora Priscila Krause (DEM), na Câmara do Recife, na manhã desta terça-feira (13), o chefe do núcleo de Engenharia do TCE, Airton Alcoforado (foto), dos 11,54% previstos para o período, apenas 3,70% foram executados. A presidente da URB, Débora Mendes, presente no evento, anunciou que um novo cronograma será oficializado até o final deste mês. Segundo ela, o atraso na liberação da certidão do Ibama, expedida no último dia 25, foi um dos motivos para o atraso nas frentes de serviço.

Outra informação oficializada na audiência pública foi a desapropriação do Aeroclube, na região do Pina. De acordo com Débora Mendes, o traçado da Via passará por dentro do terreno do clube aeronáutico, fato que “inviabiliza”, segundo ela, sua permanência no local. A presidente da URB informou, no entanto, que esse é um ponto que a Prefeitura do Recife não terá intervenção direta, já que as negociações para a desapropriação do terreno vão acontecer entre a direção do Aeroclube e o governo de Pernambuco, proprietário da área. A informação contraria documento assinado pela assessora da presidência da URB, Ana Zuleika, que respondeu oficialmente à Câmara do Recife, dia 26 de setembro deste ano, questionamento sobre a utilização do terreno. “A área em referência do aeroclube é de propriedade do Governo do Estado, não havendo no âmbito deste Município nenhum estudo de Viabilidade Técnica para que o mesmo seja utilizado”, registrou Zuleika.

Para a vereadora Priscila Krause, responsável pela realização da audiência pública, o atraso em frentes de serviço como a “Canalização do Rio Pina” e a “Construção do Muro de Contenção”, duas ações fundamentais para a construção da Via Mangue, é preocupante. “Estamos no oitavo mês, desde a assinatura da ordem de serviço, e a canalização do Rio Pina, que é um serviço preliminar, por exemplo, deveria estar 90% concluída, mas até hoje não houve andamento. Nossa preocupação é com o cumprimento dos prazos. O Recife não vai admitir que exista atraso de um dia sequer e é por isso que vamos, ao lado do TCE, permanecer fiscais 24 horas. Agora é aguardar o anúncio desse novo cronograma e somar esforços para o Recife sair desse caos chamado imobilidade”, resumiu.

Postado por Priscila Krause às 15:44:12
________________________________________________________

Deixe seu comentário

(obrigatório)